O PODER DA TOLERÂNCIA

(Não tem Preço, mas, tem Recompensa)

 

         Quando eu tinha vinte um anos de idade, namorei uma moça que me convidou para almoçar na casa dela num domingo. A mãe dela preparou um verdadeiro banquete muito gostoso, uma macarronada deliciosa, uma salada de alface bem temperada, e na hora de me servir, eu disse que não comia salada. Ficaram de olho no meu prato, aí o pai dela disse, “come salada”, eu disse que não comia salada, os cunhados que eram menores, também, começaram a me cobrar, que eu devia comer salada. Essa história virou piada até hoje. Poderia dizer que “sofri bulling” pelo pai e os irmãos dela, mas, aceitei a “insistência” como brincadeira, não como uma ofensa pessoal e até hoje quando nos encontramos para um almoço familiar essa história se repete com muita risada.

         Se eu fosse intolerante, Você não estaria lendo esse texto, pois, a moça que era a minha namorada, hoje, ela é bisavó, avó, sogra e mãe das minhas filhas.

         Por isso não seja intolerante, principalmente, com os mais velhos que Você, pois, somos o “arquivo da história familiar”, em todo o tempo que estiver junto com a família que Deus nos deu.

         A sua vida é muito importante para todos nós, portanto, cada um tem uma história diferente da, dos outros.

         Você percebeu, porque eu levo na “brincadeira até hoje”, sem ofender aos que me cobram que devo comer salada?

Jayme Pereira da Silva – São Paulo – SP - (segunda-feira) 20/04/2020.