PARQUE MUNICIPAL MORRO GRANDE

Descrição: Perímetro abrange área entre a Subprefeitura de Freguesia do Ó-Brasilândia e Pirituba-Jaraguá. Engloba a área da antiga Pedreira Morro Grande e área entre a Rua Hortolândia, Rua João Assunção e Avenida Raimundo Pereira de Magalhães. Abarca outras vias importantes, como a Avenida Elísio Teixeira Leite, Rua Domingos Vega, Rua Encruzilhada do Sul, Rua Alto Tocantins e Rua Padre Achiles Silvestre.
Caracterização: Perímetro abrange área ocupada pela antiga Pedreira Morro Grande. No local está em planejamento o Parque Municipal Urbano Morro Grande e o Pátio de manobras da Linha 6 - Laranja do Metrô. A área apresenta alguns edifícios de valor histórico ligados ao surgimento do distrito de Brasilândia e da antiga Pedreira, dentre eles um cinema, a Capela Santa Clara de Assis e o edifício sede da Tecelagem Santo Eduardo Tecidos de Algodão, localizados na Rua Raimundo da Cunha Matos. Próximo à Avenida Elísio Teixeira Leite, encontra-se o CEU Paulistano e o Centro Paula Sousa. A área também engloba a AMA-UBS Jardim Paulistano, a Casa de Cultura Brasilândia, a Praça Benedicta Cavalera, e as favelas Alambique, Marilac, Campinorte e Morro Grande. A área apresenta vegetação remanescente do bioma Mata Atlântica e ZEIS 1, 2 e 5. Parte do perímetro em Pirituba é grafado como ZEPAM, no entorno de uma nascente, evidenciando uma forte conexão de interesse da paisagem com a antiga pedreira Morro Grande e a Gleba da Cia. City.
Objetivos: • Atender a demanda por equipamentos e serviços públicos sociais, especialmente de saúde, de educação, de assistência social, de cultura, de abastecimento (por exemplo, feiras livres e mercados municipais) e de lazer e esportes; • Atender a população em situação de vulnerabilidade social, especialmente a população em área de risco; • Promover ações indutoras do desenvolvimento econômico local, especialmente pela geração de empregos e pelo estímulo ao comércio e serviços locais; • Qualificar os espaços livres públicos, especialmente os vinculados aos equipamentos públicos, os vinculados ao comércio, os vinculados ao transporte público, os vinculados aos polos atrativos e os vinculados às áreas de lazer; • Atender a demanda por espaços livres públicos de lazer e esporte; • Implantar os parques em desenvolvimento; • Promover a conservação das paisagens e do patrimônio material e imaterial da região; • Promover a recuperação e conservação ambiental dos cursos d´água, das áreas verdes, das encostas e revitalização de áreas degradadas e contaminadas; • Promover a coleta e destinação de resíduos sólidos, de acordo com o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Cidade de São Paulo - PGIRS; • Melhorar a acessibilidade e mobilidade local, regional e de acordo com o Plano de Mobilidade de São Paulo - PLANMOB; • Promover o atendimento habitacional e a regularização fundiária de acordo com as diretrizes do Plano Municipal de Habitação - PMH; • Promover a regularização fundiária e urbanística; • Melhorar a segurança pública local. Diretrizes; • promover conexão entre espaços públicos e áreas a serem urbanizadas, através de traçado viário, permitindo a interligação entre áreas de interesse da paisagem e a conexão entre equipamentos públicos existentes, como as escolas e o CEU Paulistano, Avenida Elísio Teixeira Leite e Av. Raimundo Pereira de Magalhães, atuando para melhorar a conexão no eixo Leste-Oeste; • qualificar e fortalecer o eixo comercial ao sul da antiga Pedreira Morro Grande. Qualificação urbanística do eixo, contemplando: reforma, adequação e, quando possível, alargamento das calçadas e arborização; acessibilidade; melhoria da iluminação pública; implantação de mobiliário urbano; sinalização e implantação contígua de equipamentos públicos como elementos catalizadores do comércio e serviços privados, segundo diretrizes do PDE de 2014; • Qualificação dos espaços livres públicos, contemplando implantação de passeios públicos, mobiliário urbano, acessibilidade universal, arborização e sinalização. Adoção de conceitos de traffic calming para conectar as escolas existentes na região aos núcleos habitacionais e caminhos verdes propostos; • Criação do parque urbano (PQ_FO_06 - Parque Morro Grande), conforme especificação do PDE, de modo a atender a demanda por espaços verdes públicos e proteger os remanescentes da Mata Atlântica; • Construção e/ou requalificação de equipamentos públicos, com destaque para implantação de equipamentos de cultura, educação e saúde; melhorar acesso aos equipamentos existentes, como CEU Paulistano; • Preservar o patrimônio material e imaterial da região, de acordo com as diretrizes do PDE e revitalizar da área no entorno da antiga pedreira através da promoção de um Polo de Economia Criativa, valorizando os edifícios históricos na entrada da Pedreira, como a Capela dedicada a Santa Clara, o cinema e antiga Tecelagem Santo Eduardo tecidos de Algodão; • Solucionar questões habitacionais, de acordo com o Plano Municipal de Habitação (PMH) para as famílias em situação vulnerável. Estudar viabilidade de prover habitação nas áreas de ZEIS (ZEIS-2/N083; ZEIS-2/N111; ZEIS-2/N125; ZEIS-2/N120; ZEIS-2/N048; ZEIS-2/N014; ZEIS-5/N013); • Avaliação dos impactos causados pelo Metrô e verificação da possibilidade de compensação ambiental; • Executar alargamento proposto pela CET na Avenida Elísio Teixeira Leite em toda sua extensão e reavaliar o sistema viário, visando novas conexões e os impactos trazidos com a Linha 6 - laranja do Metrô e área de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico prevista no PDE de 2014 para a Avenida Raimundo Pereira de Magalhães.
Secretarias Envolvidas: SMPED; SMS; SMADS; SMSP; SMC; SEME; SEHAB; SIURB; SES; SDTE; SVMA; SMT; SME.
Atores Envolvidos: FUNDURB; CET; COHAB; SPObras; SPTRANS; Ilume; CDHU; CETESB; Sabesp; METRÔ; CONDEPHAAT
.

Fonte: Caderno de Propostas dos Planos Regionais das Subprefeituras Perímetros de Ação Freguesia do Ó/Brasilândia – PQ_FO_06.

 



Futuro Parque Municipal Morro Grande recebe placas de sinalização

A implantação das placas marca uma nova etapa do processo de criação do parque, que é uma demanda de associações e moradores da região

12:04 10/08/2022 





Em 27 de julho de 2022 na região da Subprefeitura de Freguesia do Ó/Brasilândia, zona norte, as áreas municipais previstas no Plano Diretor de São Paulo para abrigar o Parque Municipal Morro Grande recebeu placas de sinalização, através do Projeto Demarca, com a função de informar à população sobre a implantação do parque e evitar o uso indevido da área, como a ocorrência de invasões e deposição de lixo.



A implantação foi realizada pela equipe técnica das Divisões do Patrimônio Ambiental (CPA/DPA), Implantação, Projetos e Obras (CGPABI/DIPO) e Gestão de Parques Urbanos (CGPABI/DGPU) da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA). Eles estavam acompanhados do subprefeito Sérgio Gonelli e equipe. Moradores da região e integrantes de associações em prol da criação do parque também estiveram presentes. Participaram membros do Conselho Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Freguesia do Ó/Brasilândia (CADES-FO), CONSEG Brasilândia, Câmara Municipal de Vereadores, Conselho Participativo Municipal, região episcopal de Brasilândia, Movimento em Defesa do Parque Morro Grande, Rede Novos Parques, Portal do Ó, Movimento de Mulheres Negras, Associação do Morro Grande, Samba de São Paulo, dentre outros.



A ampliação das áreas verdes do município, através da implantação do parque, traz consigo benefícios indiretos e diretos para os seus moradores, como a conservação das áreas permeáveis, que têm grande importância para evitar a ocorrência de enchentes e os danos decorrentes delas, a proteção da vegetação nativa, a garantia de espaços de lazer e contemplativo para a população, dentre outros serviços ambientais previstos do Plano Municipal de Conservação e Recuperação das Áreas Prestadoras de Serviços Ambientais – PMSA (Res. CADES 202/19).



Conforme o mapeamento técnico realizado pela SVMA para o Plano Municipal da Mata Atlântica – PMMA (Res. CADES 186/17), o parque possui remanescentes do bioma Mata Atlântica, incluindo Bosques Heterogêneos e Campos Gerais.



Segundo o Plano Diretor Estratégico (Lei 16.050/14), a área está dentro da Macrozona de Proteção Ambiental, e da Macroárea de Conservação e Recuperação. Além disso, do ponto de vista geotécnico é uma área imprópria à ocupação urbana. Também faz parte das Zonas Especiais de Preservação Ambiental – ZEPAM, que são porções do território destinadas à proteção de ocorrências ambientais isoladas, como remanescentes de vegetação significativa e paisagens naturais notáveis, por exemplo. As sessões do zoneamento das quais a área do parque pertence reforça ainda mais a necessidade da sua criação.




Fotos: Patrícia Prado

Cartografia: Caroliny Rangel


Fonte: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/noticias/index.php?p=333271