Lei do Portão Eletrônico


A população de São Paulo está recebendo mais um presente da Câmara Municipal de São Paulo pelos 464 anos de fundação da Cidade.

A Lei do Portão Eletrônico vai impactar ainda mais o bolso da população que mais contribui para o progresso do Brasil, em que os vereadores descobrem a cada dia uma novidade para penalizar os munícipes.

Sugerimos ao Tribunal de Contas do Município e outros órgãos competentes na fiscalização das Finanças do Município que façam auditorias nas contas dos vereadores que elaboraram o Projeto de Lei 190/17 (Lei nº 16.809 de 23/janeiro/2018) para descobrir se há algum envolvimento com as empresas de sinalização eletrônica ou indústria metalúrgica de portões eletrônicos.

Esta é mais uma das leis municipais que causarão impacto na população paulistana, tal como foi a “Lei das Calçadas” e outras, e que depois de muitas reclamações caíram no “esquecimento” por não atender às necessidades da nossa cidade.

A população quer ver as ruas asfaltadas, sem buracos, bem sinalizadas, identificação das propriedades adequadas e atualizadas, ruas iluminadas e segurança nos bairros afastados do centro, transporte público com menos intervalos, entre muitas prioridades de uma cidade grande.

Não aceitamos regulamentos para construções de edificações e equipamentos já instalados. Isto é provocação e não regulamentação de obra pronta. Existem normas técnicas para a instalação de portões eletrônicos, desde a fabricação até a colocação.   

Até parece que a nossa Cidade de São Paulo não completou 464 anos de fundação e precisa ser organizada nas obras já existentes.

 

Jayme Pereira da Silva – São Paulo – SP - sábado, 27/janeiro/2018

www.jaymesilva.com.br

jaymensagens@globo.com

Fonte: Diário Zona Norte