SUGESTÕES PARA A SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES e CMTC

– 08/novembro/1991 – 19h30

 

1 – Linhas Circulares nos bairros, interligados através das Avenidas e Ruas principais.

2 – Eliminação de um dos dois extremos das Linhas, como postos fiscais. Apenas um ponto terminal com fiscalização, relatório e posto de informação.

3 – Entradas dos ônibus pela porta dianteira.

4 – Racionalizar as escalas dos operadores com Seis Horas de trabalho ininterrupto (conforme Art. 7º Inciso XIV da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 05.10.88).

5 – Permitir a concorrência de empresas permissionárias nas linhas rentáveis e também nas deficitárias.

 

Comentários das Sugestões acima:

 

1 : Conforme o novo sistema de municipalização dos transportes coletivos, o pagamento às empresas permissionárias, serão computados: 80% por kilometragem rodada e 20% pelo numero de passageiros transportados. Não será por viagens, nem horas trabalhada, assim sendo, para ter mais ônibus nas Linhas, poderão ser criadas Linhas Circulares, onde a ociosidade nos terminais, será eliminada.

Por outro lado, haverá mais bairros interligados, ampliando o desenvolvimento da periferia da Cidade.

 

2 : Um dos problemas da população é a falta de condução, apesar de ter ônibus parados nos terminais, muitas vezes com mais de 30 minutos e mais de 5 carros parados nos respectivos terminais. Uma das desculpas dos fiscais é o preenchimento dos relatórios, motivo pelo acúmulo e quando faltam os carros, o fiscal diz que o outro fiscal não libera no outro terminal os ônibus e vice-versa. Com apenas um terminal, com um fiscal, o outro como auxiliar, podendo percorrer o itinerário para verificar como está o serviço prestado. No terminal eliminado, os carros passariam apenas para trocar o letreiro e uma parada rápida sem demora.

 

3 : Como a evasão de passageiros, é um dos principais fatores do prejuízo de renda, no transporte público. O ideal para uma diminuição desta evasão e também os constantes consertos das portas traseiras, será a inversão das catracas e entrada pelas portas dianteiras. É evidente que a segurança dos operadores deverá ser reforçada.

 

4 : Conforme a atual Constituição Brasileira, diz que “A jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento, salvo negociação coletiva”. Poder-se-ia regulamentar 4 turnos de seis horas cada, da seguinte forma:

1º turno: das 4 às 10 horas, 2º turno: das 9 às 15 horas, 3º turno das 14 às 20 horas e 4º turno das 19 à 1 hora, remanejando as escalas. É claro que dentro destes horários, haverá escalas intermediárias – exemplos: 4h15 às 10h15 – 4h30 às 10h30 – 4h45 às 10h45 – 5h00 às 11h00 etc...) Eliminando as esperas dos operadores nas garagens.

 

5 : A concorrência com mais de uma empresa permissionária, na mesma linha, beneficiará os usuários, pois, cada qual, terá maior interesse no melhor atendimento, e maior faturamento, mesmo nas linhas deficitárias.

 

Jayme Pereira da Silva

Rua Hum, 219 – Bloco 7 – Apto. 42 – Brasilândia

02806 - São Paulo – SP