Transcrição da carta à CMTC em 17/09/1991

 

 

São Paulo, 17 de setembro de 1991

 

 

À

COMPANHIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVOS – CMTC

Rua do Bosque, 779 – Barra Funda

01136 São Paulo – SP

 

 

Prezados Senhores:

 

 

Até quando vamos ter que agüentar os aborrecimentos diariamente, na linha 8538 – Vila Iara/Paissandu?

 

Hoje, às 18h55 no carro 1525, na Praça Luiza Mahin, saltaram pela porta traseira, mais de quinze pessoas ou vândalos.

 

Desde o início da viagem, esses elementos ficam nos fundos do carro, isso são todos os dias neste mesmo período, a partir das 18 horas, ficam brincando, perturbando os passageiros, impedindo que outros entrem no coletivo. Os operadores do carro ficam irritados com toda à razão, mas, não podem colocá-los para fora do ônibus.

 

O 18º Batalhão da Polícia Militar, recebeu dois ofícios (16.02.91 e 20.07.91) entregues pessoalmente por mim, e foram feitas algumas intervenções, mas o problema continua. Solicito que esta chefia, entre em contato oficialmente com o 18º Batalhão e intensifique com mais freqüência este policiamento preventivo.

 

Estou encaminhando cópia desta carta ao 18º Batalhão, que sei, dará a melhor atenção à nossa segurança e da região.

 

Solicito, também que os operadores desta linha, sejam instruídos, para que informem através de relatórios o que ocorre durante as viagens, principalmente os arrombamentos das portas traseiras e evasão de passageiros.

 

Sem mais para o momento, agradecemos as providências que adotarem a esta nossa sugestão, para melhorar o nosso transporte.

 

Atenciosamente,

 

 

Jayme Pereira da Silva

Rua Hum, 219 – Brasilândia

02806 São Paulo – SP

 

C/C 18º BATALHÃO DA POLÍCIA MILITAR

Rua Coronel Tristão, 193 – Freguesia do Ó

02925 São Paulo - SP